Artigos

bash-completion

Quando usamos a nossa consola em Linux temos um ajudante fabuloso que nos completa os comandos. Pomos esse ajudante em acção ao carregar a tecla TAB  depois de escrevermos as primeiras letras dos comandos que pretendemos inserir.

E quando não temos esse ajudante activo? Muito fácil. Na consola escrevemos:

sudo apt-get update && sudo apt-get install bash-completion

No fim copiamos para o nosso perfil:

cat /etc/skel/.bashrc >> ~/.bashrc

Fazer logout e da próxima vez já temos o nosso bash auto-complete activo 🙂

Anúncios

Wordpress – Alterar caminho das imagens

wordpress-logo-stacked-rgb

Recentemente migrei de servidor onde o meu blog está alojado. Após a migração reparei que o caminho das minhas imagens estava errado pois antes tinha ‘papimigas.com/blog’ e agora é ‘papimigas.com’. Tinha de alterar todas as imagens para o novo caminho e havia duas maneiras de resolver:

  • Manualmente uma a uma (tarefa ingrata, são anos de artigos, alguns com muitas imagens)
  • Via cli do mysql (medo!)

Após uma pequena pesquisa vi que a tabela responsável é a wp-posts.

Primeiro fazer um backup e só depois iniciar a aventura na cli MySQL!

Entrar no MySQL com o comando:
mysql -u root -p
(tecla enter, inserir palavra-passe de root mysql e clicar na tecla enter novamente)

Verificar qual a base de dados:
mysql> SHOW databases;

Após verificar qual a base de dados que alberga o nosso WordPress é altura de a “usar”. Vamos supor que a nossa base de dados tem o nome de “wordpress_db”. Usamos o seguinte código:
mysql> USE wordpress_db;

Verificamos se a tabela wp-posts existe:
mysql> SHOW tables;

Se estiver tudo confirmado alteramos o caminho das imagens com o seguinte comando:
mysql> UPDATE wp_posts SET post_content=(REPLACE (post_content, ”,”));

No meu caso foi:
mysql> UPDATE wp_posts SET post_content=(REPLACE (post_content, ‘papimigas.com/blog’,’papimigas.com’));

E puf! A magia acontece 🙂

Para sair da cli MySQL basta usar o comando quit:
mysql> quit;

O comando History

Para quem não conhece, o comando “history” é um verdadeiro salva-vidas na administração de sistemas linux. Permite saber os comandos inseridos por ordem de execução, repetir comandos ou aproveitar parte deles.
Para testarem basta escrever na consola
history
history

Há várias opções mas destaco três:
1- history | grep “xpto”
Este comando é bastante útil quando queremos procurar um comando que contenha uma determinada palavra ou expressão
2- history 10
Para ver os últimos 10 comandos (podem usar o número que quiserem)
3- export HISTTIMEFORMAT=”%F %T”
Por predefinição o comando history não vem com a data e hora de execução. Mas é possível activar isso com este comando.

Como em qualquer comando, podem sempre ver as opções disponíveis acrescentando a flag –help ou ver o manual com man history.

iRedMail alias

iredmail

iRedMail é uma excelente alternativa open-source para quem quer um servidor de email. Robusto e potente, é uma boa solução para quem precisa de um servidor de email.

Como de costume há uma solução “livre” de custos e uma versão paga, com suporte e uns extras.

Na versão livre não há nenhuma opção gráfica para se criar “alias” aos emails existentes. Mas é possível fazer por sql, na consola. De acordo com a página da iRedMail isto é explicado mas… o comando não funcionou da maneira como eles explicam.

Na consola, entramos na CLI MySQL:
mysql -u root -p
Inserimos a password de root mysql e os seguintes comandos:
USE vmail;
INSERT INTO alias (address, goto, domain, is_alias, active)
VALUES (‘novoalias@dominio.pt’, ‘emailoriginal@dominio.pt’, ‘dominio.pt’, ‘1’, ‘1’);

E pronto, podem testar o vosso novo alias.

Raspberry chat encrypted


Todos precisamos de vez em quando de uma ferramenta para uma conversa rápida, anónima e sem grandes configurações. Ao navegar pela Internet encontrei vários serviços de chat que me ofereciam tudo isso mas houve um que me agradou mais.
O ChatCrypt é um serviço de chat simples e directo.

Escolhemos um nome para a sala, um utilizador e uma palavra-chave. É aberta uma nova janela de chat.
Cada pessoa que quiser entrar só tem de colocar o nome da sala e palavra-passe correctas. Quem tentar entrar na sala sem ter a password correcta, não vai conseguir ler o que os restantes membros escrevem.

Isto porque, de acordo com os autores do chat a encriptação ocorre antes da nossa mensagem sair do navegador que estamos a usar, utilizando para isso o algoritmo AES-256 no modo CTR com uma palavra-passe especificada pelo utilizador.
Os criadores foram ainda mais longe e permitem que possamos usar este serviço numa pagina externa à do serviço, como por exemplo numa página gerida por nós.
Lembrei-me logo do Raspberry 🙂

Num Raspbian criado de fresco apenas tive que instalar o Apache:
sudo apt-get install apache2

Depois Criei um ficheiro dentro da pasta /var/www/html/
nano /var/www/html/chat.html

Inseri o seguinte conteúdo:

https://www.chatcrypt.com/iframe.php

Salvei o ficheiro e acedi ao raspberry:
http://ip_do_raspberry/chat.html

Experimentem!

 

Problemas de som com Realtek HDA

realtek-high-definition-audio-drivers
Para quem usa Ubuntu e tem o “azar” de ser contemplado com uma placa de som Realtek High Definition Audio, vai ouvir alguns ruídos e falhas de som, com os Kernels mais recentes 4.x.

Uma alternativa que podem tentar via consola para resolver este problema (não é 100% garantido) é a seguinte:

Editar o ficheiro /etc/pulse/default.pa:
sudo nano /etc/pulse/default.pa

Procurar a linha (com o atalho Ctrl+W) que tem a seguinte informação:
load-module module-udev-detect

Adicionar “tsched=0” no fim da linha. Deverá ficar:
load-module module-udev-detect tsched=0
Salvar e terminar sessão, ou reiniciar.