No root ttyUSB


Por vezes uso um adaptador USB -> COM para me ligar a equipamentos que tem portas RS232 como interface de configuração (routers, switchs, etc). Para me ligar aos equipamentos posso usar o Putty ou o Minicom. Mas para aceder ao equipamento tenho que usar os programas como Root. Ou não? 🙂
Posso contornar a situação e adicionar o meu user ao grupo que tem privilégios nas portas virtuais. Como?

1 – Inserir o adaptador numa porta USB

2 – Descobrir qual a porta que o nosso adaptador está a usar:
papi@pc:~$ dmesg | grep tty
[ 0.000000] console [tty0] enabled
[ 2.603832] fbcon: Remapping primary device, fb1, to tty 1-63
[10482.525933] usb 1-1: pl2303 converter now attached to ttyUSB0

3 – Descobrir qual o grupo que tem privilégios:
stat /dev/ttyUSB0

papi@pc:~$ stat /dev/ttyUSB0
File: /dev/ttyUSB0
Size: 0 Blocks: 0 IO Block: 4096 ficheiro especial de caracteres
Device: 6h/6d Inode: 609 Links: 1 Device type: bc,0
Access: (0660/crw-rw—-) Uid: ( 0/ root) Gid: ( 20/ dialout)
Access: 2018-06-16 15:07:50.845137048 +0100
Modify: 2018-06-16 15:07:52.845137048 +0100
Change: 2018-06-16 15:07:50.845137048 +0100
Birth: –

Então, o grupo com privilégios é o grupo dialout

4 – Adicionar o nosso user ao grupo:
sudo usermod -a -G dialout papi

5 – Fazer logout e já podemos usar o Putty ou o Minicom sem “sudo”

Anúncios

SSH ao Raspberri

Um dia destes ao falar com um amigo meu que tinha comprado um raspberry, perguntei todo entusiasmado o que já tinha feito quando ele triste me responde que “dá muito trabalho escrever o comboio de comandos que aparecem nos artigos!”
Bom, sei que isto parece estranho de dizer mas os maluquinhos de Linux são tão preguiçosos como os outros e fazem tudo para facilitar a vida no dia-a-dia!
Para  acedermos a um Raspberry e inserir os comandos que vemos na Internet não precisamos de escrever no teclado local. Podemos fazer isso com um “copiar & colar”, a partir do nosso computador pessoal, usando para isso um protocolo de nome SSH. Aliás, podemos fazer tudo como se tivéssemos ligados directamente ao Raspberry desde que este esteja ligado pelo menos com o cabo de rede, no mesmo Router onde o nosso computador pessoal está ligado. A única informação que precisamos é de saber qual o IP do nosso Raspberry. Para isso basta ver no arranque do nosso Raspberry o IP:
raspberry_piNeste caso é o IP 192.168.1.15.

Também é possível ver com o comando ifconfig:
raspberry_pi1Neste caso é o IP 192.168.1.70

Assim, já temos como aceder ao nosso Raspberry. Vamos imaginar que o IP do nosso Raspberry é o 192.168.2.100 e que o utilizador é o “pi“.
Em Linux ou em OSX abrimos uma consola e escrevemos “ssh pi@192.168.2.100“. Se o sistema conseguir chegar ao nosso Raspberry, vai ser pedida a password (por defeito é Raspberry). E pronto, é como se estivéssemos ligados directamente no nosso Raspberry!

Em Windows podemos usar um programa muito simples mas poderoso, de nome Putty. O programa não exige instalação e é um só ficheiro.
putty-defaultNo hostname escrevemos o IP do nosso Raspberry e clicamos em Open. Abre-se uma janela de consola onde inserimos o utilizador e password. E pronto! Já podemos copiar os comandos dos milhares de projectos que há pela Internet para o nosso Raspberry, sem ter que os escrever. Para “colar” no Putty basta clicar com o botão direito do rato na consola.

Bons projectos! 🙂

Putty no Ubuntu

putty

Quem administra routers e outros equipamentos cujo meio de acesso à configuração é através de uma consola, em Windows usa o fantástico Putty.
No entanto esta ferramenta também existe para Linux e funciona muito bem em Ubuntu!

Para instalar basta o seguinte comando:
sudo apt-get install putty

E pronto, está instalado.

Há dois pormenores a partilhar:

1 – Para se usar o putty como utilizador regular (sem direitos administrativos) numa porta local (COM ou USB) é necessário que o utilizador pertença ao grupo dialout. Para tal basta executar o seguinte comando:
sudo adduser utilizador dialout
Teremos que terminar sessão para tornar esta alteração efectiva.

2 – Em Windows,  quando queremos executar um “copiar-colar” a informação que queremos copiar é selecionada com o botão esquerdo do rato. Para efetuar o “colar” clicamos com o botão direito. Em Linux, a ação de “colar” é feita com o botão do meio ou a “roda” do nosso rato.

Boas ligações! 🙂